CREDENCIADO

 

 

 

 

SERPRO assinatura-governo.png
Como confirmar a validade das assinaturas digitais ICP-Brasil?

Publicado em 21/05/2020 19h06 Atualizado em 21/05/2020 19h09

 

Em função da COVID-19 não há como as pessoas se deslocarem para cumprir rotinas como a assinatura de contratos, procurações, atos cartoriais, prescrições médicas, assembleia de acionistas etc, surge, então, a alternativa para resolver o problema: documentos eletrônicos com valor legal.

 

Nesta circunstância, a tecnologia da certificação digital vem, aceleradamente, possibilitando com que pessoas possam simplificar seus hábitos e costumes. E quanto ao mundo corporativo que já utilizava os certificados digitais ICP-Brasil, os profissionais começam a visualizar que a utilização dessa tecnologia pode ser ampliada para a agilidade e a simplificação dos processos organizacionais e de negócios.

 

Um documento eletrônico com assinatura digital ICP-Brasil tem presunção de legalidade e garantias de autoria, integridade, autenticidade, qualificação, confidencialidade, temporalidade e não repúdio.

 

Mas como conferir se a assinatura digital é verdadeira?

A verificação de assinaturas digitais surge para muitas pessoas como novidade e muitas outras ainda desconhecem que já existe uma forma segura de comprovar as assinaturas digitais em documentos eletrônicos.

 

Para tranquilizar quem está lidando com essa tecnologia há pouco tempo é que apresentamos a plataforma de verificação das assinaturas digitais que é disponibilizada pelo ITI – Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, desde 2014.

 

Acredite, não é mágica. É tecnologia!

Os documentos eletrônicos com valor legal estão entre os recursos de tecnologia mais significativos que vieram auxiliar pessoas, profissionais e instituições a contornar as adversidades vindas em consequência da pandemia da COVID-19.

 

Acreditamos muito que depois que as pessoas vivenciam essa experiência e se sentem seguras não há mais como retroceder a caneta, papel, carimbo, arquivos físicos e deslocamentos desnecessários.

 

Mesmo os profissionais que já utilizam o certificado digital em suas rotinas, perceberam a possibilidade do uso dos documentos eletrônicos para outros fins além dos que já estavam habituados.

 

Estamos falando, por exemplo, de médicos e advogados que são grandes usuários dos certificados digitais ICP-Brasil e nunca haviam, assinado, respectivamente, prescrições médicas digitais e contratos eletrônicos.

“Neste momento especial pelo qual o país está passando, temos que contar com a tecnologia para permitir a manutenção de serviços tão importantes aos brasileiros. O ITI atendeu ao chamado para esta solução e oferece uma plataforma com a já reconhecida segurança utilizada na ICP-Brasil”, declara o diretor-presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, Marcelo Buz.

 

O presidente Buz refere-se às plataformas disponibilizadas pelo ITI para a verificação e para a validação das assinaturas digitais.

 

Um dos fatores fundamentais para que os documentos eletrônicos, efetivamente, sejam adotados em escala pela população brasileira é que pessoas, profissionais e instituições tenham confiança e sintam-se seguros em relação aos documentos eletrônicos.

 

Como confiar em um documento eletrônico assinado digitalmente?

Confiar na tecnologia é o primeiro passo. A emissão do certificado digital ICP-Brasil obedece a uma série de processos e procedimentos segundo padrões internacionais de PKI – Public Key Infrastructure, em português ICP – Infraestrutura de Chaves Públicas. No Brasil é homologada pela Medida Provisória 2.200-2/2001.

 

Para dar ainda mais transparência ao uso da tecnologia de certificação digital, o ITI disponibiliza, gratuitamente, dois portais para a conferência das assinaturas digitais.

 

É muito simples e rápido utilizar essas plataformas. É necessário apenas fazer o upload documento e a plataforma, em segundos, informa se a assinatura é válida e se o documento é íntegro. Testamos aqui na redação o envio via desktop por celular e em ambos os dispositivos o processo foi igualmente simples e rápido.

 

Como verificar as assinaturas digitais?

O Verificador de Conformidade é um serviço que está disponível desde 2014 para a conferência de assinatura de qualquer documento assinado com certificado digital emitido pela ICP-Brasil.

 

Já o Validador de Documentos Digitais é uma ferramenta voltada para os documentos de saúde, ou seja, para uso de médicos, pacientes, farmacêuticos e que conta com a parceria dos Conselhos Federais de Medicina e de Farmácia. Lançada em abril de 2020.

 

A plataforma permite, não apenas, validar a assinatura digital ICP-Brasil como conferir se o registro profissional de médicos e farmacêuticos está de acordo com os respectivos conselhos.

 

É uma ferramenta que fortalece as ações de combate à transmissão do Coronavírus (COVID-19), porém vem para ficar, permitindo que o cidadão compre medicamentos a partir de prescrições digitais, além de confirmar a validade de atestados, solicitações de exames e relatórios médicos.

 

Conforme nos explica Ruy Ramos – Assessor Especial da Presidência do ITI, desde 2014…

“O portal de validações nasceu da necessidade, no momento da pandemia por COVID-19, de validar determinados documentos, no caso documentos da área de saúde: prescrições, atestados, relatórios médicos, solicitação de exame – quando se tem regulada a telemedicina e tele consulta.

 

O desenvolvimento do portal de validação de documentos digitais se baseia em um outro serviço que é Verificador de Conformidade, serviço esse que temos disponibilizado no ITI há mais de 10 anos.”

 

“O que foi implementado neste novo portal – Validador de Documentos Digitais foi justamente a capacidade de ele reconhecer o tipo de documento. Se o documento eletrônico é uma prescrição ou um atestado, e se ele foi assinado por um médico,” complementa Ramos.

 

Além das verificações de assinatura digital a partir da cadeia de confiança da ICP-Brasil, o Validador de Documentos Digitais consulta a base do CFM – Conselho Federal de Medicina e CFF – Conselho Federal de Farmácia para averiguar se o profissional está habilitado a assinar aquele documento.

 

Só, então, o ITI pode apresentar o resultado de que o documento foi assinado por um profissional habilitado para o procedimento em questão. E no caso do ato de dispensação, que é o ato farmacêutico, se o documento eletrônico foi assinado por um farmacêutico.

 

O conteúdo do documento é de responsabilidade do emitente e deve seguir a legislação do setor. O CFM disponibiliza em https://prescricaoeletronica.cfm.org.br todas as instruções aos profissionais.

 

Segundo enfatizou Ramos, é importante ressaltar que o atual validador não trata de documentos de outra natureza do que da demanda específica para atender a área de saúde por conta da pandemia da COVID-19.

Para validar documentos de outra natureza deverá haver uma consulta ao ITI por parte de um conselho de classe, por exemplo, para que o ITI desenvolva um tratamento em especial, como o feito pelo CFM e CFF por conta da pandemia.

 

Existe ainda a possibilidade de serem utilizados certificados de atributos atrelados aos documentos assinados por certificados digitais ICP-Brasil. O certificado de atributo não substitui, mas complementa a assinatura realizada por certificados digitais ICP-Brasil de pessoa física.

 

“Com a utilização do certificado de atributo, o desenvolvimento de uma aplicação especial como feito para o CFM e CFF não será mais necessária porque, além da assinatura com certificado digital, poderá estar contido no mesmo documento eletrônico, o certificado de atributo. Com isso, o validador já conseguirá identificar o cidadão com o certificado digital e com o certificado de atributo, a sua validação/habilitação junto ao conselho profissional”, esclarece Ramos.

 

E a privacidade dos documentos submetidos ao Verificador e ao Validador?

Para a verificação da assinatura é necessário que o documento seja submetido ao procedimento de verificação de integridade, assinatura digital e de qualificação do profissional disponibilizado pelos conselhos, mas a aplicação acessa apenas os dados do emitente da assinatura, titular do certificado digital ICP-Brasil. Os portais não armazenam as receitas ou os documentos que são submetidos para verificação e/ou validação da assinatura.

 

O ITI não armazena os documentos em seus servidores.

 

Fonte: CryptoID